Manual de segurança de aeroportos dos EUA vai parar na Internet

A Administração de Segurança dos Transportes (TSA) dos Estados Unidos postou na Internet, acidentalmente, um documento com informações sigilosas sobre práticas de verificação de passageiros em aeroportos, informou na quarta-feira o Washington Post.

REUTERS

09 de dezembro de 2009 | 14h18

O manual da TSA traz informações técnicas sobre máquinas de raio-X, detectores de explosivos e outros dados sobre a verificação de passageiros e bagagens, segundo o jornal.

Funcionários da TSA citados pelo Post confirmaram o lapso, e ex-funcionários da agência disseram que o erro expôs práticas que foram implementadas após os ataques de 11 de setembro de 2001 e outros incidentes de segurança.

"Isso aumenta o risco de terroristas encontrarem maneiras de burlar as defesas", disse Stewart Baker, ex-secretário adjunto do Departamento de Segurança Interna.

O documento de 93 páginas também inclui fotos de credenciais usadas por parlamentares norte-americanos, funcionários da CIA e agentes de segurança aérea e descreve os casos em que se permite que determinadas armas de fogo passem pela verificação de segurança, disse o jornal.

O manual foi postado na Internet em forma editada, mas os trechos deletados são facilmente recuperáveis, teriam dito funcionários da TSA.

O Washington Post citou outro ex-funcionário do Departamento de Segurança Interna, que teria dito que a postagem acidental do manual foi mais um erro de relações públicas do que um risco de segurança, porque os manuais da TSA circulam amplamente na comunidade da aviação.

Funcionários da TSA disseram ao Post que a agência está fazendo uma investigação interna do caso.

"A TSA tem muitas camadas de segurança para garantir a segurança do público que viaja e para adaptar-se constantemente às novas ameaças. A TSA confia na validade dos procedimentos de verificação usados atualmente", disse a agência em comunicado à imprensa.

(Reportagem de Paul Eckert)

Tudo o que sabemos sobre:
EUASEGURANAAEROPORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.