Matança no Colorado foi 'crime hediondo', diz Obama

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, qualificou o ataque a um cinema do Estado do Colorado, na sexta-feira, como um lembrete de que a vida é frágil e prometeu que o governo federal está pronto a fazer tudo o que puder para buscar justiça às vítimas desse 'crime hediondo'.

Reuters

21 de julho de 2012 | 10h53

Obama encurtou uma viagem de sua campanha eleitoral na sexta-feira, no Estado da Flórida, e retornou a Washington depois que um atirador matou 12 pessoas e feriu 59 numa exibição do novo filme do 'Batman', à meia-noite, na localidade de Aurora, subúrbio de Denver, no Colorado.

'Mesmo que nós venhamos a compreender como isso aconteceu e quem é o responsável, nós talvez nunca possamos entender o que leva alguém a aterrorizar outros seres humanos', disse Obama em seu pronunciamento semanal de rádio e Internet, transmitido neste sábado.

'Tal maldade não tem sentido, está além da razão', afirmou ele.

Após o ataque, a polícia prendeu num estacionamento atrás do cinema o universitário James Eagan Holmes, de 24 anos, que está sob custódia. Ele deve comparecer pela primeira vez a um tribunal na segunda-feira.

(Reportagem de Jeff Mason)

Mais conteúdo sobre:
EUACOLORADOMASSACRE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.