McCain critica isolacionismo de pré-candidatos republicanos

O senador republicano John McCain, candidato derrotado a presidente dos Estados Unidos em 2008, criticou os pré-candidatos republicanos à Casa Branca, os acusando de romper a tradição do partido ao pregarem o "isolacionismo".

THOMAS FERRARO E DAVE CLARKE, REUTERS

19 de junho de 2011 | 16h19

McCain afirmou que se o presidente Ronald Reagan ainda fosse vivo teria ficado decepcionado com o debate entre os pré-candidatos republicanos na semana passada, quando os políticos se mostraram impacientes com os esforços militares norte-americanos no Afeganistão, no Iraque e na Líbia.

"Ele diria que esse não é o Partido Republicano dos séculos 20 e 21. Esse não é o partido que se levantava pela liberdade dos povos ao redor do mundo", disse McCain.

O senador fez os comentários em entrevista à rede de TV ABC, em programa transmitido neste domingo.

No primeiro grande debate entre os republicanos, realizado na segunda-feira passada, os pré-candidatos questionaram se era inteligente os EUA combaterem no Afeganistão, no Iraque e agora na Líbia.

O contraste entre tais argumentos e o que ocorria poucos anos atrás é claro. Em 2004, o então presidente republicano, George W. Bush, foi reeleito defendendo os conflitos no Iraque e no Afeganistão.

Em 2008, McCain e outros republicanos apoiaram o aumento de tropas no Iraque. Na semana passada, porém, os pré-candidatos deixaram claro que os tempos mudaram.

O ex-governador de Massachusetts Mitt Romney, tido como atual líder das preferências para se tornar candidato, refletiu o sentimento de muitos que esperam tirar o democrata Barack Obama da Casa Branca no ano que vem.

"Nossas tropas não devem lutar uma guerra de independência de outro país", disse Romney. "Só os afegãos podem conquistar a independência do Afeganistão do Taliban."

McCain disse não estar pronto para apoiar nenhuma candidatura e afirmou estar preocupado com o que ouviu no debate.

"Isso é isolacionismo. Sempre houve uma corrente isolacionista no Partido Republicano, mas agora parece que ela tomou o centro do palco", declarou o senador.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAMCCAINCRITICAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.