Reuters
Reuters

Meio-irmão de Obama fala de maus-tratos em romance

Obra 'semiautobiográfica' foi escrita por parente do americano que vive na China há sete anos

Efe,

04 Novembro 2009 | 13h21

Mark Ndesandjo, meio-irmão do atual presidente dos EUA, Barack Obama, falou nesta quarta-feira, 4, de seu romance "De Nairóbi a Shenzhen", uma história que classificou como "semiautobiográfica" e na qual aborda a violência doméstica.

 

"O livro foi escrito em inglês e conta a história de David, um garoto que viaja à China durante os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001 e se apaixona por uma jovem com a qual tem um filho", disse Ndesandjo, que vive na China há sete anos, à imprensa.

 

Segundo o meio-irmão de Obama, "quando David chega à China, começa a lembrar de sua vida nos EUA e no Quênia e a refletir sobre as complicadas relações que existiam em sua família". E, assim, David lembra de como o pai maltratava a mãe e das tentativas desta de convencer os filhos de que o marido, no fundo, era uma boa pessoa, contou Ndesandjo, graduado em Física pela Universidade de Brown, nos EUA.

 

O meio-irmão de Obama vive há sete anos na cidade de Shenzhen - na fronteira com Hong Kong -, fala mandarim, toca piano e é casado com uma chinesa. Ndesandjo, que disse ser um apreciador dos ideogramas chineses, revelou ainda que tem "muito orgulho" do presidente americano e que, nos tempos difíceis, Obama "sempre" ajudou-o muito.

 

Ele também confessou que desde a eleição do meio-irmão, com o qual diz manter contato regularmente, adotou o famoso sobrenome. Ndesandjo nasceu no Quênia e se mudou para os EUA quando ainda era criança. Até pouco tempo atrás, usava o sobrenome da mãe, Ruth, a terceira mulher do pai de Obama.

Mais conteúdo sobre:
romance Ndesandjo Obama livro China

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.