Menina californiana raptada reaparece 18 anos depois

Uma menina californiana que havia sido raptada em 1991, aos 11 anos de idade, foi achada viva de passar 18 anos vivendo em barracões e tendas atrás da casa do suposto seqüestrador, um estuprador condenado que teve dois filhos com ela, segundo a polícia.

ALEXANDRIA SAGE, REUTERS

28 de agosto de 2009 | 08h52

Jaycee Dugard foi atirada dentro de um veículo cinza quando ia para um ponto de ônibus perto da sua casa, em South Lake Tahoe, a leste de San Francisco, em 19 de junho de 1991.

A moça, hoje com 29 anos, foi encontrada graças a uma denúncia feita ao agente que fiscalizava a prisão condicional do estuprador Phillip Craig Garrido, o que levou a uma ação de busca e apreensão na casa dele, perto da localidade de Antioch, cerca de 160 quilômetros ao sul do local do seqüestro.

A polícia disse ter encontrado no local um "quintal dentro de um quintal", onde Dugard vivia com os dois filhos, confinados em uma série de barracões e barracas.

"Ela estava com boa saúde, mas viver em um quintal por 18 anos deve ter seu preço", disse o xerife-adjunto Fred Collar em entrevista coletiva.

Carl Probyn, padrasto de Dugard, disse a uma TV que ele e a mãe da moça "choraram por cerca de dez minutos" depois de serem informados que ela estava viva.

Garrido, de 58 anos, e sua esposa Nancy, de 54, foram detidos pelo rapto de Jaycee Dugard, e promotores disseram que eles devem ser formalmente denunciados na sexta-feira.

As autoridades dizem que Garrido possivelmente é o pai das duas filhas de Dugard, hoje com 11 e 15 anos.

"Nenhuma das crianças jamais foi à escola, nenhuma foi a um médico. Foram mantidas em completo isolamento neste terreno", disse Kollar.

O caso começou a ser desvendado na terça-feira, quando Garrido tentou entrar no campus de Berkeley da Universidade da Califórnia com as duas meninas para distribuir panfletos religiosos.

Um guarda do campus achou suspeita a forma de interação dele com as duas meninas, e por isso investigou o histórico do homem e acabou alertando o agente responsável pela fiscalização da prisão condicional.

As autoridades disseram que Garrido havia cumprido pena numa prisão de Nevada por um caso de seqüestro e estupro ocorrido em 1971.

Tudo o que sabemos sobre:
EUACALIFORNIARAPTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.