Menino de 12 anos é preso acusado de abrir fogo em escola nos EUA

As autoridades do Estado norte-americano do Novo México trabalhavam nesta quarta-feira para apresentar acusações o quanto antes contra um menino de 12 anos que disparou tiros em sua escola e feriu dois estudantes antes de um professor convencê-lo a entregar sua arma, disseram autoridades.

Reuters

15 de janeiro de 2014 | 19h55

O menino, que não foi identificado publicamente, será formalmente acusado nos próximos dias como adolescente, disse a promotora de Roswell, Janetta Hicks, do Quinto Distrito Judicial do Estado, em entrevista por telefone.

O crime de terça-feira na escola Berrendo, em Roswell, em que um menino de 11 anos e uma menina de 13 ficaram feridos, ocorreu no ginásio do colégio, onde os alunos tendem a esperar o início das aulas quando o clima não está bom.

O atirador suspeito não será acusado como um adulto devido à sua idade, de acordo com a lei do Novo México, disse Hicks disse nesta quarta-feira.

A violência no ginásio da escola durou apenas 10 segundos, pois um professor convenceu o garoto, que abriu fogo e feriu os dois estudantes, a entregar a sua espingarda, disseram autoridades. O motivo do crime ainda não está claro.

(Reportagem de Alex Dobuzinskis)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAMENINOPRESO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.