Mentora da imagem dos EUA deixará o Departamento de Estado

Karen Hughes, uma das últimas pessoas próximas de Bush no governo, permanece no cargo até dezembro

REUTERS

31 de outubro de 2007 | 15h20

A chefe de diplomacia pública doDepartamento de Estado norte-americano, Karen Hughes, a "guruda imagem" dos EUA e uma das últimas sobreviventes do círculomais próximo do presidente George W. Bush, anunciou nestaquarta-feira que vai deixar o cargo e voltar para o Texas. A secretária de Estado, Condoleezza Rice, disse que Hughesvai deixar o departamento em meados de dezembro, mas que aex-repórter de TV deve continuar prestando consultoria para ogoverno. "Ela obviamente deixará um grande vazio", disse Rice,ao lado de Hughes. Hughes, nomeada subsecretária de Estado para a DiplomaciaPública em setembro de 2005, trabalhou tentando combateropiniões negativas sobre os EUA depois da invasão do Iraque, em2003. "Acredito que fiz o que a secretária Rice e o presidenteBush me pediram, ao transformar a diplomacia pública e fazerdela uma prioridade de segurança nacional", disse Hughes. No entanto, pesquisas de opinião no mundo todo continuammostrando níveis elevados de antiamericanismo, que, segundo oCentro de Pesquisas Pew, em Washington, é mais forte no mundomuçulmano. Tirando o polêmico assessor Karl Rove, que deixou o governoeste ano, Hughes era talvez a assessora mais próxima de Bush.Ela ainda almoça regularmente com o presidente depois de suasviagens ao exterior. (Reportagem de Sue Pleming)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAHUGHES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.