Mercenários apoiaram ações de aviões não tripulados da CIA

Empresa de segurança participou do carregamento de mísseis e bombas em operações contra a Al-Qaeda

21 de agosto de 2009 | 11h19

A CIA está utilizando mercenários da empresa de segurança privada Blackwater para conduzir uma de suas estratégias antiterroristas mais importantes: enviar aviões não tripulados carregados com bombas para matar líderes da Al Qaeda. A informação foi divulgada nesta sexta-feira, 21, pelo jornal The New York Times.

 

Veja também:

link CIA contratou mercenários contra Al-Qaeda

especial Especial: 30 anos de violência e caos no Afeganistão

 

A operação é comandada a partir de bases secretas no Paquistão e no Afeganistão, onde funcionários da companhia montam e carregam mísseis Hellfire e bombas de 225 quilos guiadas por laser em aeronaves Predator - um trabalho realizado anteriormente pela própria CIA. Os mercenários também fornecem segurança para as bases, segundo fontes oficiais.

 

O papel da companhia no programa Predator destaca o atual grau de dependência da CIA de empresas externas para realizar algumas de suas atribuições mais importantes. E ilustra o poder de recuperação da Blackwater, agora conhecida como Xe (pronuncia-se "zi") Services, apesar de que a maioria das pessoas de dentro e de fora da companhia ainda se referirem a ela como Blackwater. Ela cresceu com contratações governamentais, apesar de ter sofrido críticas e acusações de brutalidade no Iraque. Um porta-voz da CIA se recusou a comentar o assunto.

 

Também nesta semana, foi divulgado que a CIA contratou em 2004 pessoas treinadas pela Blackwater no âmbito de um programa secreto para localizar e assassinar líderes da Al-Qaeda. Os executivos da Blackwater colaboraram com a agência de espionagem nas operações de planejamento, treinamento e vigilância, e a CIA gastou muitos milhões de dólares com este programa que não chegou a capturar nem matar nenhum terrorista suspeito.

 

Os funcionários da agência disseram que a CIA não tinha um contrato formal com a Blackwater para esse programa, apenas acordos individuais com altos executivos da empresa, entre eles o próprio fundador, Erik Prince. Prince é ex-integrante da organização dos Seals da Marinha americana e tem importantes relacionamentos na área política.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.