Mergulhadores da Marinha e FBI ajudam resgate em Minneapolis

Investigadores federais começaram a analisar causas do acidente; 8 pessoas continuam desaparecidas

Efe,

06 de agosto de 2007 | 20h17

Equipes de mergulhadores da Marinha dos Estados Unidos e do FBI foram nesta segunda-feira, 6, para Minneapolis para ajudar os esquadrões locais na busca das oito pessoas que ainda continuam desaparecidas após a queda de uma ponte sobre o rio Mississippi.   Paralelamente aos trabalhos de resgate e recuperação dos corpos, investigadores federais começaram a analisar através de modelos computacionais as causas do desmoronamento, declarou à imprensa local o presidente do Conselho Nacional de Segurança no Transporte, Mark Rosenker.   Segundo Rosenker, as equipes de investigação necessitarão precisarão provavelmente de algumas semanas até que possam fazer uma análise detalhada da estrutura da ponte que caiu.   Esta tarefa será apoiada por imagens de alta resolução captadas por um helicóptero com uma câmara que sobrevoará a parte norte da ponte, onde se acredita que se originou o problema.   Além disso, os investigadores começaram a entrevistar os operários da construtora encarregada pelo reparo de parte da ponte, o que fornecerá informação valiosa para a reconstrução dos fatos, afirmou Rosenker.   O governo local foi autorizado a encarregar uma empresa terceirizada para a retirada dos escombros da ponte, um trabalho caro e laborioso para o qual serão precisos quatro guindastes.   As toneladas de concreto e vigas que serão extraídos do rio e de seus arredores serão igualmente examinadas pelos especialistas.   A investigação poderia durar até 18 meses, segundo os cálculos do Conselho Nacional de Segurança no Transporte.

Tudo o que sabemos sobre:
Ponte de MineapolisEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.