Charles Dharapak/AP
Charles Dharapak/AP

Michelle nega ter influência no governo Obama

'Não tenho conversas com funcionários dele, não vou a reuniões', revela primeira-dama

Reuters

11 de janeiro de 2012 | 18h31

WASHINGTON - A primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, negou numa entrevista televisiva nesta quarta-feira, 11, que tenha disputas com assessores do marido, ou mesmo que interfira nas decisões do governo.

O recém-lançado livro The Obamas, de Jodi Kantor, do The New York Times, retrata a popular primeira-dama dos Estados Unidos como uma dura operadora política.

"Há uma imagem que as pessoas tentaram pintar de mim, sabe, desde o dia em que Barack anunciou (que seria candidato a presidente, em 2008), que eu sou uma 'negra irritada'", disse Michelle no programa "This Morning", da CBS, acrescentando que não leu o livro.

Ela disse que raramente pisa na Ala Oeste da Casa Branca, onde fica o gabinete presidencial, e que nunca brigou com o ex-chefe de gabinete Rahm Emanuel, nem com o ex-secretário de imprensa Robert Gibbs. "Não tenho conversas com funcionários do meu marido, não vou a reuniões."

No livro de Kantor, que cita várias fontes, mas não entrevistou o casal Obama, há relatos de tensões entre a primeira-dama e Gibbs, que teria xingado e falado mal de Michelle por causa de supostas gafes em público.

Obama disse que Gibbs foi um bom assessor e continua sendo um bom amigo. "As pessoas todos os dias ... às vezes dizem coisas que não era o que queriam dizer", afirmou Michelle.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAMichelle Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.