Milhares marcham por igualdade para homossexuais nos EUA

Manifestação em Washington cobrou de Obama o compromisso com a luta pela igualdade de direitos

Efe,

11 de outubro de 2009 | 21h34

Milhares de pessoas se concentraram neste domingo no National Mall, o parque onde estão situados os prédios do Governo americano, no centro de Washington, para pedir a promoção da igualdade de direitos para os homossexuais. Em uma clara demonstração de unidade e força, milhares de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT) de todo o país se reuniram desde a manhã de hoje no National Mall para participar, ao longo de todo o dia, da Marcha Nacional pela Igualdade.

 

A manifestação, que faz reivindicações, mas com um toque festivo, uniu afro-americanos, latinos, brancos, crianças, jovens e idosos em torno de uma mesma causa: o fim da discriminação dos homossexuais. Com bandeiras de arco-íris, cartazes e gritando slogans, os manifestantes pediram respeito a seus direitos civis, com cartazes que diziam "Deus ama os gays", "não tenham medo de nós" ou "eu pago os mesmos impostos que vocês, quero os mesmos direitos".

 

Ativistas marcham diante do Capitólio, em Washington. Foto: Molly Riley/Reuters

 

O presidente americano Barack Obama foi talvez a pessoa mais mencionada durante a marcha, que passou em frente à Casa Branca antes de terminar na esplanada do Capitólio, com discursos de personalidades e líderes do movimento LGBT. Muitos dos participantes da manifestação acordaram hoje encorajados pelas promessas que Obama fez na noite anterior, em um jantar de gala da Human Rights Campaign, uma organização em defesa dos direitos dos homossexuais.

 

Mas outros, como o organizador da manifestação, Cleve Jones, fundador da Aids Memorial Quilt, disse que Obama voltou a prometer muitos avanços sem marcar datas. Obama tentou reconquistar a comunidade homossexual com uma apaixonada defesa de seu compromisso com a luta pela igualdade de direitos e a promessa de eliminar várias medidas discriminatórias.

 

O presidente reiterou sua promessa de eliminar a política atual para os homossexuais nas Forças Armadas, conhecida como "don't ask, don't tell" ("não pergunte, não diga", em tradução livre do inglês), que permite que os homossexuais possam servir as Forças Armadas se não revelarem sua orientação sexual. Apesar das promessas de Obama de acabar com a política, até o momento não deu nenhum passo visível para pôr fim à norma, implantada durante a Administração de Bill Clinton. No sábado, o presidente também não deu nenhuma data para sua revogação.

 

A marcha contou com a presença da atriz Cynthia Nixon, famosa por interpretar a personagem de Miranda na série "Sex and the City" e que espera poder casar-se com sua namorada, Christine Marinoni.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.