Militar dos EUA é considerado culpado de matar civil iraquiano

Um atirador de elite norte-americano foicondenado por uma corte marcial, neste domingo, por ter matadoum civil iraquiano desarmado e então colocado uma arma sobreseu corpo, informou o comando militar dos Estados Unidos. No tribunal de Camp Victory, principal base dos EUA pertodo aeroporto internacional de Bagdá, o sargento Evan Vela, doEstado de Idaho, foi considerado culpado da morte do civil e deter dado falsas declarações oficiais. "O sargento Evan Vela foi considerado culpado deassassinato premeditado, durante sessão da corte marcial",informou um comunicado militar. "Os procedimentos estãoatualmente em fase de sentenciamento". Ele também foi condenado de "plantar" uma metralhadoraAK-47 no corpo do iraquiano, o que viola o Artigo 134 do Códigode Justiça Militar Uniforme. O incidente aconteceu durante uma operação na cidade deIskandariyah, a 40 quilômetros de Bagdá. O advogado de Vela argumentou que seu cliente sofria, àépoca, de estresse causado pela falta de sono e fadiga física. Vela admitiu ter atirado no homem após ele ter tropeçado nolugar onde o atirador e seus colegas dormiam, mas relatou nãoter lembranças exatas do ocorrido. Em novembro último, outros dois atiradores de elite(snipers), o sargento Michael Hensley e o especialista JorgeSandoval, foram inocentados da acusação de assassinato, mascondenados de terem forjado provas. (Reportagem de Michael Holden)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.