Militares dos EUA prometem soltar 9 iranianos presos no Iraque

As Forças Armadas dos Estados Unidosdisseram nesta terça-feira que irão libertar em breve noveiranianos mantidos presos no Iraque, incluindo dois que foramdetidos no norte acusados de dar apoio a milícias xiitas. A detenção de cinco iranianos na cidade ao norte de Arbil,em janeiro passado, contribuiu para um significativo aumentodas tensões entre o Irã e o Iraque, bem como para novas trocasde acusação entre o governo iraniano e o norte-americano,antigos rivais. Desses cinco detidos em Arbil, apenas dois devem serlibertados. Não foram fornecidos detalhes sobre os outros setepresos que devem ser libertados. "Pretendemos libertar, no futuro próximo, nove iranianosmantidos atualmente em custódia", disse em uma entrevistacoletiva o contra-almirante Greg Smith, porta-voz das ForçasArmadas dos EUA. "Dois deles foram detidos em Arbil em janeiro deste ano",afirmou. As forças norte-americanas haviam dito que os cinco detidosnaquela cidade eram suspeitos de pertencer à Qods, a força deelite da Guarda Revolucionária do Irã. O governo iranianoafirma que os homens são diplomatas e exige a libertação deles. "Avaliamos que manter esses indivíduos detidos não trarávantagem nenhuma e que esses indivíduos não representam umaameaça à segurança futura do Iraque", disse Smith. Os EUA acusam o Irã de treinar milícias xiitas no Iraque ede fornecer armas, entre as quais as bombas plantadas ao ladode ruas e estradas, de longe o maior responsável pela morte desoldados norte-americanos em território iraquiano. O Irã nega as acusações e responsabiliza a invasãorealizada a mando dos EUA em 2003 pela violência verificada noIraque e que já matou dezenas de milhares de pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.