Missa fúnebre de Ted Kennedy reúne 1.500 convidados

Líderes do Congresso, ex-presidentes e a família Obama acompanharam a cerimônia em Boston

Efe e Reuters,

29 de agosto de 2009 | 10h57

Foto: Efe

 

WASHINGTON - A missa fúnebre do senador democrata Edward Kennedy reuniu cerca de 1.500 convidados neste sábado, 29, em uma emblemática Igreja Católica em Boston. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, entre outras autoridades, participaram da cerimônia.

 

Veja também:

link Nixon espionava Ted Kennedy em busca de provas de traição

lista Perfil: Câncer põe fim a trajetória do 'último Kennedy'

especialEspecial: Conheça os membros da Dinastia Kennedy

mais imagens Fotos: Veja  imagens de Ted Kennedy

video Vídeo: Assista no YouTube discurso na convenção democrata em 2008

especial Especial: Cronologia da vida do senador

lista Quatro momentos na vida de Ted Kennedy 

 

O caixão fechado e coberto com a bandeira americana foi recebido com música cerimonial após a transferência, em meio a fortes medidas de segurança, da Biblioteca Presidencial JFK, onde permaneceu desde quarta-feira, até o setor de Mission Hill, em Boston (Massachusetts).

 

A missa, que durou aproximadamente duas horas, contou com a presença de políticos como os ex-presidentes Jimmy Carter, Bill Clinton e George W. Bush, além de dezenas de líderes das duas câmaras do Congresso de EUA e vários ex-senadores que viajaram a Boston, em Massachusetts, para participar da missa fúnebre a Edward Kennedy.

 

Imagens de televisão mostraram cerca de 58 líderes democratas e republicanos do Senado, assim como 21 ex-líderes da Câmara Alta, entrando em ônibus particulares rumo à cidade de Boston, bastião do liberalismo nos EUA.

 

O presidente norte-americano Barack Obama também foi a Boston e fez um discurso em memória de Edward Kennedy no sábado, no último dia das cerimônias em homenagem ao senador, uma figura de grande importância na política dos EUA cuja morte vem sendo tratada como a morte de um membro da realeza. Obama será o único a discursar que não pertence ao clã Kennedy.

 

Foto: AP  

 

Na manhã de sábado Obama foi a um hotel no centro de Boston para um encontro reservado de dez minutos com Victoria Kennedy, a viúva do senador.

 

Foto: Efe

 

Horas antes, o presidente se reuniu em particular, durante dez minutos, com a viúva do senador, Vicki, informou o porta-voz da Casa Branca, Bill Burton.

 

Foto: Efe

 

Segundo a lista distribuída pela Casa Branca, entre os convidados também estavam membros do Gabinete presidencial, os ex-vice-presidentes Al Gore e Dan Quayle, governadores, prefeitos, e personalidades dos principais meios de comunicação dos Estados Unidos.

 

Foto: Efe

 

O corpo de Ted Kennedy estava na Biblioteca Presidencial JFK, em Boston, desde quarta-feira. Kennedy morreu na noite da terça-feira aos 77 anos, após uma luta de 15 meses contra um câncer cerebral e, desde então, dezenas de milhares de pessoas dentro e fora dos EUA, tanto figuras políticas quanto pessoas comuns lhe prestaram homenagem. 

 

Foto: Efe

 

Calcula-se que cerca de 50 mil pessoas passaram pelo emblemático edifício em Boston para se despedir do patriarca do clã Kennedy. Desde que Kennedy morreu na terça-feira de câncer cerebral, os americanos vêm promovendo uma série de homenagens ao último dos irmãos Kennedy, alguém que exerceu papel chave nas grandes transformações sociais e políticas dos Estados Unidos no último meio século.

 

Edward Kennedy III Foto: AP

 

Além disso, assistiram à missa cerca de 60 senadores, membros da Câmara de Representantes, incluindo a presidente desta Câmara, Nancy Pelosi, e um magistrado do Tribunal Supremo, Stephen Breyer, que foi assessor de Kennedy.

 

O corpo de Kennedy será levado na noite de sábado para o Cemitério Nacional de Arlington, nos arredores de Washington, para ser sepultado ao lado dos restos de seus irmãos, o ex-presidente John F. Kennedy e o senador Robert Kennedy, ambos assassinados na década de 1960.

 

O início da carreira política de Edward Kennedy aconteceu à sombra da vida e morte de John e Robert, mas ele acabou atuando por quase 47 anos no Senado, onde se tornou defensor dos progressistas e foi ao mesmo tempo repudiado e respeitado pelos conservadores.

 

O violoncelista Yo-Yo Ma e o cantor lírico Plácido Domingo vão se apresentar no funeral, que terá lugar numa basílica católica num bairro operário de Boston.

 

Kennedy, que morreu aos 77 anos, escolheu a Basílica Our Lady of Perpetual Help (Nossa Senhora do Perpétuo Socorro) porque foi onde ele orou diariamente quando sua filha Kara, hoje com 49 anos, estava internada num hospital nas proximidades, em 2003, enfrentando um câncer do pulmão.

 

Muitos parlamentares e outros políticos americanos de destaque estão previstos para participar da cerimônia, incluindo os ex-presidente Jimmy Carter, Bill Clinton e George W. Bush.

 

Depois da cerimônia, o féretro de Kennedy será levado de avião a Washington, onde será conduzido até o cemitério de Arlington num comboio de veículos.

 

Na sexta-feira, depois de um velório público que atraiu mais de 30 mil pessoas -tantas que os seguranças foram obrigados a barrar a entrada de algumas -, dignitários dos dois lados do espectro político participaram de uma cerimônia memorial fechada no Museu e Biblioteca John F. Kennedy.

 

Texto ampliado às 14h05 para acréscimo de informações.

Tudo o que sabemos sobre:
Ted Kennedy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.