Missão no Afeganistão será prova crucial para a Otan, diz Hillary

Aliança ofereceu 7 mil militares para reforçar tropas no país, ajuda considerada 'significativa' pelos EUA

estadao.com.br,

04 de dezembro de 2009 | 15h19

A guerra no Afeganistão é uma "prova crucial para a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan)", disse nesta sexta-feira, 4, a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, comemorando o compromisso "significativo" dos aliados de enviar 7 mil soldados como reforço ao país asiático, segundo a agência AFP.

 

Veja também:

especialEspecial: 30 anos de violência e caos no Afeganistão 

Aliados dos EUA oferecem mais 7 mil soldados para guerra

 

"É uma prova crucial para a Otan, que tem sido a maior e mais próspera aliança militar da História", afirmou Hillary após uma reunião com líderes do grupo.

 

A secretária de Estado aplaudiu a decisão do bloco de enviar 7 mil soldados à guerra contra a insurgência e disse que era um "compromisso significativo". Na terça-feira, Washington anunciou o envio de mais 30 mil soldados ao Afeganistão. Com os novos contingentes, a Otan terá cerca de 43 mil militares no país, enquanto os EUA terão mais de 100 mil.

 

Para a chefe da diplomacia americana, é "crucial" que os aliados "se mantenham firmes" em sua determinação e continuem à frente da operação contra os taleban e a Al-Qaeda no país asiático.

Tudo o que sabemos sobre:
OtanAfeganistãotropasEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.