Monitores da UE na Geórgia vêem sinais de retirada russa

Monitores da União Européia que acompanham o cessar-fogo na Geórgia relataram o desmonte de um posto de controle russo perto da região separatista da Ossétia do Sul no domingo, dizendo que foi "o primeiro sinal aberto" de retirada das tropas russas, prometida para ocorrer até 10 de outubro. Um porta-voz da missão de monitores da UE disse que o posto de controle fica na região georgiana de Ali, a noroeste da cidade de Gori. "Monitores vêm observando o desmonte do posto de controle", disse o porta-voz à Reuters. "Este é o primeiro sinal aberto", prosseguiu, referindo-se à esperada retirada das tropas russas após a guerra de cinco dias entre Rússia e Geórgia em agosto. O chefe de polícia regional disse à Reuters que o posto de controle fica no povoado de Nabakhtevi. A Rússia enviou forças à Geórgia para repelir uma ofensiva lançada por Tbilisi para retomar a Ossétia do Sul de separatistas pró-Moscou. Moscou disse que até 10 de outubro tiraria suas tropas de "zonas de segurança" que criou no território georgiano adjacente à Ossétia do Sul e outra região separatista, a Abkházia. O prazo de 10 de outubro foi fixado no acordo de cessar-fogo mediado pela França. Em 1o de outubro a UE enviou uma missão de mais de 200 observadores desarmados à região, com a tarefa inicial de monitorar o recuo russo. O posto de controle de Nabakhtevi fica a oeste da zona principal de conflito, numa região em que não ocorreu o deslocamento de moradores verificado na área situada diretamente entre o norte de Gori e a fronteira de fato, onde, segundo grupos de defesa dos direitos humanos, milícias e paramilitares saquearam e incendiaram casas de georgianos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.