William Smith/Arquivo AP
William Smith/Arquivo AP

Morre Theodore C. Sorensen, principal assessor de J.F. Kennedy

Funcionário é tido como cérebro por trás dos discursos memoráveis do ex-presidente dos EUA

31 de outubro de 2010 | 19h22

NOVA YORK- Theodore C. Sorensen, que foi principal assessor do ex-presidente americano John F. Kennedy, morreu neste domingo, 31, aos 82 anos, em um hospital de Nova York, vítima de complicações de um derrame sofrido em 2001.

 

Além de escrever os discursos de Kennedy, descrito pela imprensa americana como "ghostwriter" do líder, ele era seu confidente, e a pessoa mais próxima do ex-presidente depois de seu irmão, Bobby.

 

Alguns dos discursos mais memoráveis de JFK, desde sua fala inaugural até suas palavras para saudar a chegada do homem à lua, são creditados a Sorensen. Ele também é suspeito de ter escrito o discurso que consagrou John F. Kennedy como vencedor do Pulitzer, o que os Kennedys negam.

 

Após o derrame, a saúde de Sorensen piorou bastante, impedindo-o de escrever suas próprias memórias, lançadas em 2008 com o título de "Conselheiro". Ele teve de ditá-las a um assistente.

 

O presidente Barack Obama afirmou em comunicado estar triste por saber que Sorensen morreu. "Eu sei que seu legado ficará vivo nas palavras que escreveu, nas causas em que avançou, e nos corações de qualquer um que inspirou por meio da promessa de uma nova frente".

 

Sorensen também foi responsável, junto a Bobby Kennedy, por escrever uma carta a Nikita Khrushchev em outubro de 1962, quando EUA e União Soviética estavam na iminência de um confronto militar, nos anos mais conflituosos da Guerra Fria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.