Musical do Homem-Aranha fica sem iluminação do Empire State em estreia

Produtores do musical propuseram, aos donos do arranha-céu, que dedicasse sua iluminação ao super-herói e sua cúpula luzisse de vermelho e azul

Efe,

10 de junho de 2011 | 04h09

Reeve Carney voa com Jennifer Damiano durante o musical 'Spider-Man: Turn Off the Dark'

 

NOVA YORK - A direção do Empire State se negou a dedicar por um dia a espetacular iluminação noturna do arranha-céu ao musical da Broadway sobre o Homem-Aranha, cuja cena mais impressionante acontece no topo de outro grande edifício de Nova York, o Chrysler.

"O Homem-Aranha e o Empire State são dois dos ícones mais queridos da cidade, portanto esperamos que haja alguma maneira de reunir ambos na noite de estreia", disse na quinta-feira, 9, à Agência Efe Rick Miramontez, porta-voz da produção musical mais cara da história.

Os produtores de Spider-Man: Turn Off The Dark, estimulados pelos membros da banda U2 Bono e The Edge, propuseram aos donos do Empire State que na noite da estreia, na próxima terça-feira, 14, o arranha-céu mais alto de Nova York, dedicasse sua iluminação ao Homem-Aranha e sua cúpula luzisse de vermelho e azul.

No entanto, no musical, que muita gente já pôde assistir graças às centenas de apresentações prévias à estreia, o super-herói nova-iorquino mantém uma épica batalha com o Duende Verde no topo do edifício Chrysler.

Os donos do Empire State disseram que aceitariam a solicitação dos produtores se estes modificassem a cenografia para que a batalha acontecesse ali, e não nas conhecidas coroas do Chrysler.

No entanto, esta opção seria complicada, pois a decoração que simula o Chrysler é formada por móveis e alguns deles são caros e dificilmente substituíveis, especialmente a menos de uma semana da estreia, segundo explicam os produtores.

O jornal "New York Post" citou na quinta-feira, 9, uma fonte não identificada do Empire State que garante: "Adoramos o Homem-Aranha, mas este é o edifício de escritórios mais famoso do mundo e um ícone de Nova York".

Essa mesma fonte acrescenta que ter omitido o Empire State do cenário não é a primeira infâmia do musical, em referência à infinidade de problemas enfrentados pela produção de US$ 70 milhões.

Além de ter sido duramente avaliada pela crítica (o que causou notáveis mudanças no roteiro e nas músicas), sua estreia foi adiada em várias ocasiões devido, entre outros motivos, à dificuldade das acrobacias que deixaram vários atores feridos.

Segundo a programação prevista, o Empire State se iluminará na terça-feira, 14, de vermelho, branco e azul pela celebração nos Estados Unidos do Dia da Bandeira.

Tudo o que sabemos sobre:
homem-aranhamusicalempire state

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.