Jonathan Ernst/Reuters
Jonathan Ernst/Reuters

Negociações para aprovar reforma na saúde avançam nos EUA

Senadores democratas chegam a acordo para amenizar proposta que universaliza cobertura médica no país

Associated Press e Efe,

09 de dezembro de 2009 | 08h32

As negociações para a aprovação para a reforma do sistema de saúde americano avançaram no Senado na noite de terça-feira, 8, após os democratas chegarem a um acordo sobre a proposta que será levada para discussão. Segundo o líder da maioria do partido, Harry Reid, houve um 'acordo amplo' para atrair o voto de senadores resistentes à universalização do sistema de saúde americano.

De acordo com alguns senadores democratas, com as mudanças que serão propostas, a universalização será minimizada, mas não excluída do projeto. O Medicare, programa que dá assistência a maiores de 65 anos, será estendido para pessoas com mais de 55.

Além disso,uma agência federal irá negociar com planos de saúde privados coberturas similares às oferecidas a funcionários públicos. Se os planos não oferecerem preços razoáveis, ainda de acordo com os democratas, então o governo ofereceria um plano público.

"Superamos um impasse que tínhamos", disse Reid. "Acredito que as pessoas vão gostar do que fizemos".

A Casa Branca elogiou o avanço nos debates. "Os senadores estão fazendo um grande progresso e estamos contentes que estejam trabalhando junto para um acordo que ofereça escolha e chances de competição", disse um porta-voz.

O Senado está na sua segunda semana de debate sobre a reforma no sistema de saúde. A lei prevê custo de US$ 1 trilhão em dez anos para ampliar a cobertura para milhões de americanos sem seguro.

Tudo o que sabemos sobre:
sistema de saúdereformaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.