Níger confirmou detenção de filho de Kadafi, dizem Estados Unidos

Saadi Kadafi é uma das mais importantes figuras do regime líbio a fugir para o país vizinho

Reuters e Agência Estado

12 Setembro 2011 | 16h07

WASHINGTON - O governo do Níger confirmou ter detido o Saadi Kadafi, filho do ditador da Líbia, Muamar Kadafi Saadi, e está estudando o que fazer com ele, informou o Departamento de Estado dos Estados Unidos nesta segunda-feira, 12.

 

Veja também:
forum OPINE: 
Onde se esconde Kadafi?
especialESPECIAL: Quatro décadas de ditadura na Líbia
lista ARQUIVO: ‘Os líbios deveriam chorar’, dizia Kadafi

"Nós confirmamos com o governo do Níger que Saadi havia cruzado (a fronteira) e que eles estavam em processo ou já o haviam levado para a capital Niamey e pretendiam detê-lo", informou a porta-voz do departamento Victoria Nuland.

 

 

O filho de 38 anos do líder líbio é uma das figuras mais importantes do regime de Kadafi a fugir para o país africano, que tem sido destino de vários oficiais líbios. A Argélia também recebeu alguns dos familiares do ditador.

 

 

O primeiro-ministro nigerino, Brigi Rafini, disse hoje que 32 integrantes do círculo interno de Kadafi, incluindo al-Saadi, já chegaram ao país desde 2 de setembro. "Um total de 32 pessoas estão atualmente aqui, incluindo um de seus filhos (de Kadafi), al-Saadi, assim como três generais", afirmou o premiê durante uma reunião com diplomatas estrangeiros em Niamey.

 

A divulgação da informação deve elevar a pressão sobre o Níger, cujo governo prometeu entregar qualquer pessoa procurada pelo Tribunal Penal Internacional, o que inclui Kadafi e Sais al-Islam outro de seus filhos. Não há confirmação, porém, se outros membros do regime líbio, como Saadi, seriam entregues aos rebeldes.

 

A fronteira entre a Líbia e o Níger é vasta e impossível de ser patrulhada pelos militares nigerinos mal equipados. Desde a semana passada, vários comboios com integrantes do regime líbio percorreram as dunas que separam os países. A chegada de al-Saadi indica que até mesmo a família de Kadafi escolheu o Níger como melhor opção para se esconder.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.