Nigeriano que tentou explodir voo dispensa advogados para se defender sozinho

Umar Farouk Abdulmutallab, acusado de pertencer à Al-Qaeda, aguarda julgamento nos EUA

Efe,

13 de setembro de 2010 | 17h38

WASHINGTON- Umar Farouk Abdulmutallab, o jovem nigeriano acusado de tentar explodir um voo comercial com destino a Detroit no Natal, dispensou seus advogados e disse nesta segunda-feira, 13, à juíza responsável por seu caso que quer defender a si mesmo, informou a imprensa local.

 

Segundo a mídia dos EUA, a juíza federal Nancy Edmunds convocou o nigeriano para uma visita, na qual o aconselhou a manter um advogado para sua defesa, mas o acusado insistiu: "prefiro assumir minha própria representação". Espera-se que Nancy marque nas próximas horas uma data para o julgamento.

 

Abdulmutallab foi acusado em janeiro passado após sua tentativa frustrada de ativar uma mistura explosiva escondida dentro de sua roupa em um voo da linha aérea Delta que ia de Amsterdã até o aeroporto de Detroit, em Michigan, em 25 de dezembro passado. Havia 279 passageiros e 31 tripulantes no Airbus 330.

 

Segundo autoridades americanas, o nigeriano é integrante da rede terrorista Al-Qaeda e havia se preparado para sua missão suicida no Iêmen.

 

Abdulmutallad está preso a espera de julgamento sob acusações de tentativa de usar uma arma de destruição em massa, assim como de assassinato, e pode pegar prisão perpétua se for condenado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.