Nigeriano que tentou explodir voo tem cooperado com o FBI

Revelação foi feita por oficial norte-americano em condição de anonimato; investigação está em andamento

Associated Press,

02 de fevereiro de 2010 | 23h27

O nigeriano acusado de tentar explodir um voo com destino a Detroit no Natal com explosivos escondidos em sua cueca está cooperando com os investigadores desde a semana passada, um oficial norte-americano afirmou nesta terça-feira, 02.

 

Umar Farouk Abdulmutallab tem fornecido informações de inteligência úteis que o FBI e outros operativos de inteligência tem seguido nos Estados Unidos e no exterior, disse o oficial em condição de anonimato, pois a investigação ainda está em andamento.

 

Testemunhando ante senadores nesta terça, o diretor do FBI Robert Mueller disse à presidente do Comitê de Inteligência do Senado, a senadora Dianne Feinstein, que Abdulmutallab conversou com o FBI depois que foi preso no Natal até entrar na sala de cirurgia, onde foi operado devido a queimaduras nas suas pernas.

 

Durante a operação, que durou algumas horas, investigadores decidiram informar o nigeriano sobre seu direito de não incriminar ele próprio quando ele retornasse, disse um segundo oficial também em condição de anonimato.

 

Depois que Abdulmutallab voltou, ficou aparente que ele não iria continuar a conversar com os investigadores, então eles leram para o nigeriano seus direitos.

 

O oficial deixou claro que recuperar a cooperação do nigeriano tem sido um esforço contínuo. Desde o dia do atentado falido, legisladores têm discutido se o nigeriano deveria ter sido colocado imediatamente sob custódia, ou se deveria ter sido submetido a mais questionamentos antes de ser preso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.