AP
AP

Nixon espionou Ted Kennedy em busca de provas de traição

Ex-presidente contratava agentes secretos para tornar públicos possíveis escândalos do senador

Associated Press,

28 de agosto de 2009 | 09h27

Gravações divulgadas pela Casa Branca ao longo dos anos revelam que o ex-presidente dos EUA Richard Nixon contratou agentes do serviço secreto americano para espionar o senador Edward Kennedy antes das eleições de 1972. Kennedy morreu na terça-feira, 25, aos 77 anos, em decorrência de um câncer cerebral.

 

Veja também:

lista Perfil: Câncer põe fim a trajetória do 'último Kennedy'

especialEspecial: Conheça os membros da Dinastia Kennedy

mais imagens Fotos: Veja  imagens de Ted Kennedy

video Vídeo: Assista no YouTube discurso na convenção democrata em 2008

especial Especial: Cronologia da vida do senador

lista Quatro momentos na vida de Ted Kennedy 

 

Nixon considerava o ex-senador uma ameaça tão grande que tentou flagrar Kennedy traindo sua esposa na época, Joan Kennedy. "Você tem alguém do serviço secreto que pode conseguir para mim?", perguntou o ex-presidente a John Ehrlichman, um de seus homens de confiança, que respondeu afirmativamente. "Coloque um... não, coloque dois agentes para espioná-lo. Isso poderia ser muito útil", disse Nixon.

 

A preocupação do ex-presidente era flagrar Kennedy com outra mulher que não fosse sua esposa. Nixon investiu na ideia após o acidente de Chappaquiddick, quando o ex-senador dirigia o carro que caiu em um canal e matou a ex-secretária de seu irmão Mary Jo Kopechne, com quem foi acusado de ter "conduta imoral", sugerindo que traía Joan.

 

Os agentes contratados por Nixon espionaram Kennedy até no Havaí, enquanto estava de férias. "Ele faz alguma coisa?", perguntou Nixon a seus homens. "Não, ele está limpo. Foi para o Havaí por conta própria. Está na cabana de um rapaz e está se comportando muito bem", respondeu Ehrlichamn. Toda essa espionagem durou até o escândalo de Watergate, que levou Nixon à renúncia.  

 

Segundo Luke Nichter, funcionário da Casa Branca responsável pelas gravações de Nixon e atualmente professor-assistente de História em uma universidade do Texas, o ex-presidente "nunca esqueceu sua derrota humilhante para John F. Kennedy nas eleições presidenciais de 1960. Nixon não queria simplesmente vencer Ted Kennedy, ele queria destruí-lo". De acordo com Nichter, as gravações mostram que Nixon não queria deixar nenhuma chance para Kennedy, que disputaria as eleições de 1972 pelo Partido Democrata, o que não foi possível por conta do acidente em Chappaquiddick.

 

O ex-funcionário da Casa Branca exibe e analisa as gravações em seu site Nixontapes.org. O material revela um dos maiores casos de intriga nos bastidores da política dos EUA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.