Nordeste dos EUA lentamente retoma vida normal após Sandy

O Nordeste dos EUA lentamente começou a voltar ao normal nesta quarta-feira depois da passagem devastadora da gigantesca tempestade Sandy, que interrompeu o transporte público, derrubou a energia para milhões e matou pelo menos 45 pessoas em nove Estados, com chuvas e uma elevação enorme no nível das águas que causaram inundações épicas.

MARTINNE GELLER E EMILY FLITTER E DANIEL BASES, Reuters

31 de outubro de 2012 | 13h28

Os mercados financeiros reabriram com o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, tocando o sino na bolsa de Nova York, e ônibus lotados levavam moradores de volta ao trabalho. O sistema de metrô continua suspenso depois que a água do mar inundou vários túneis.

Os aeroportos John F. Kennedy e Newark, em Nova York e Nova Jersey, reabriram com serviço limitado depois que milhares de voos foram cancelados, deixando passageiros retidos por dias. O aeroporto LaGuardia, o terceiro dos aeroportos que atende o espaço aéreo mais movimentado do país, foi inundado e permanece fechado.

Vai levar dias ou semanas para se recuperar da enorme interrupção nos transportes e na energia.

A seis dias da eleição presidencial de 6 de novembro, o presidente dos EUA, Barack Obama, vai visitar áreas devastadas na costa de Nova Jersey, onde a tempestade chegou ao continente na segunda-feira. Seu guia será o governador republicano Chris Christie, um aliado expressivo de seu rival na disputa pela Casa Branca, Mitt Romney, que, no entanto, tem elogiado Obama e a resposta do governo federal à tempestade.

A tempestade matou 27 pessoas no Estado de Nova York, incluindo 22 na cidade de Nova York, e seis em Nova Jersey. Sete outros Estados relataram mortes. Uma empresa de cálculo de desastres disse que a Sandy pode ter causado até 15 bilhões de dólares em perdas seguradas.

Sandy matou 69 pessoas no Caribe na semana passada, antes de assolar a Costa Leste dos EUA e rumar para o interior, provocando neve nas Montanhas Apalaches e outras áreas do país.

Resquícios da tempestade ainda agitavam lentamente a Pensilvânia nesta quarta-feira, disse o Serviço Nacional de Meteorologia. Avisos de tempestade de inverno estavam em vigor desde o sudoeste da Pensilvânia até o leste do Tennessee.

Atingida por um aumento recorde do nível das águas do mar e dos rios, de cerca de 4,2 metros, Nova York ficou parcialmente submersa. No bairro de Staten Island, a polícia usou helicópteros para retirar moradores presos em seus telhados.

Do outro lado do rio Hudson, em Hoboken, Nova Jersey, membros da Guarda Nacional chegaram para ajudar moradores a bombear para fora a água da enchente de suas casas, informou a prefeitura no Twitter.

Mais de 8,2 milhões de casas e empresas ficaram sem energia elétrica em vários Estados, conforme árvores derrubadas pelos ferozes ventos destruíram linhas de energia.

Em Nova Jersey, o governador Christie disse que poderia levar de sete a 10 dias antes de a energia ser restabelecida em todo o Estado.

Trilhos do metrô e túneis subterrâneos de Nova York, que transportam vários milhões de pessoas por dia, estavam debaixo d'água.

Na metade inferior de Manhattan, 250.000 moradores continuavam sem energia depois da explosão de um transformador em uma subestação da Con Edison na segunda à noite.

SEM METRÔ POR DIAS

Nova York provavelmente vai enfrentar dificuldades sem o serviço de metrô por dias, disseram as autoridades. Ônibus estavam operando em uma base limitada e muitos moradores caminhavam longas distâncias ou tentavam para pegar táxis escassos nas ruas.

A Maratona de Nova York, no domingo, ocorrerá conforme programado, mas o desfile de Halloween na noite desta quarta por Greenwich Village foi adiado. Na Broadway, a Liga Teatral anunciou que iria retomar a maioria dos shows nesta quarta-feira. Os shows foram cancelados desde domingo devido à tempestade.

Sandy atingiu a Costa Leste faltando uma semana para a eleição presidencial de 6 de novembro, atenuando uma campanha sem precedentes para estimular votações antecipadas e levantando questões sobre se algumas seções eleitorais estarão prontas para abrir no dia da eleição.

Obama enfrenta risco político se o governo não responder bem, como foi o caso de seu antecessor, George W. Bush, com uma resposta ruim ao furacão Katrina em 2005.

Obama e Romney colocaram a campanha em espera pelo segundo dia na terça-feira, mas Romney planejava realizar comícios no Estado da Flórida nesta quarta-feira e Obama vai retomar a campanha na quinta-feira.

Sandy tornou-se a maior tempestade a atingir os Estados Unidos em gerações, quando atingiu a terra com ventos com força de furacão na segunda-feira perto de Atlantic City, em Nova Jersey.

Tudo o que sabemos sobre:
EUASANDYRETORNOROTINAATUALIZA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.