Nos EUA, 60 por cento apoiam ação militar na Líbia--pesquisa

Sessenta por cento dos norte-americanos apoiam a ação militar dos EUA e aliados na Líbia para impor uma zona de exclusão aérea e proteger civis das forças leais a Muammar Gaddafi, mostrou uma pesquisa Reuters/Ipsos divulgada nesta quinta-feira.

ARSHAD MOHAMMED, REUTERS

24 de março de 2011 | 10h23

Dos entrevistados, 48 por cento descreveram a liderança militar do presidente Barack Obama como comandante-em-chefe dos Estados Unidos como "cautelosa e ponderada", 36 por cento como "indecisa e vacilante", e 17 por cento como "forte e decidida", ao responder a uma pergunta que só oferecia estas três opções.

Setenta e nove por cento dos indagados disseram que os Estados Unidos e seus aliados deveriam tentar depor Gaddafi, que governa o país exportador de petróleo do norte da África há mais de quatro décadas.

Este resultado é semelhante ao de uma pesquisa da CNN divulgada na terça-feira, que mostrou que 77 por cento dos entrevistados disseram ser muito importante ou algo importante retirar Gaddafi do poder.

Na pesquisa Reuters/Ipsos, somente 7 por cento apoiaram o uso de tropas terrestres e 60 por cento foram a favor da ação militar líbia, sendo que 20 por cento demonstraram forte apoio e 40 por cento algum apoio. Vinte e cinco por cento se opuseram em parte a ela, e 14 por cento manifestaram forte desaprovação.

O levantamento foi feito no dia 22 de março com um grupo de 975 pessoas que representam a coletividade.

O estudo deu a entender que os norte-americanos podem ver o democrata Obama sob um ótica bem diferente da de seu antecessor, George W. Bush, republicano que iniciou as guerras no Afeganistão e no Iraque com alguns aliados, mas foi amplamente visto como um líder isolado.

"Os dados indicam que ele é visto como mais aberto a opiniões em sua abordagem, o que pode distingui-lo na mente do público norte-americano de seu antecessor, George W. Bush, que não era visto assim", disse Julia Clark, diretora de Assuntos Públicos da Ipsos, acrescentando que as respostas romperam com alinhamentos políticos.

Sessenta e três por cento dos democratas escolheram "cauteloso e ponderado" como adjetivos que melhor descrevem a liderança de Obama, enquanto 64 por cento de republicanos escolheram "indeciso e vacilante."

Obama garantiu uma sanção do Conselho de Segurança da ONU e apoio árabe antes de iniciar a operação militar, cujo objetivo é proteger civis e não depor Gaddafi, o mais recente líder árabe autoritário a enfrentar protestos em massa.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAPESQUISALIBIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.