Alex Brandon/AP
Alex Brandon/AP

Nova estratégia reduzirá uso de armas nucleares, diz Obama ao NYT

Exceções seriam formuladas para o Irã e Coreia de Norte; presidente apresenta nova estratégia nesta terça

REUTERS

05 de abril de 2010 | 22h04

O presidente norte-americano, Barack Obama, disse nesta segunda-feira, 5, que a nova estratégia nuclear norte-americana reduzirá as condições nas quais as armas nucleares poderiam ser usadas, mesmo em defesa própria, segundo relatou o jornal New York Times em sua página na Internet.

O presidente disse em entrevista ao jornal que exceções seriam formuladas para "Irã e Coreia do Norte", países que violaram ou renunciaram ao tratado da não proliferação nuclear.

Obama apresentará na terça-feira a nova estratégia nuclear dos Estados Unidos, possivelmente prevendo uma redução no tamanho e na função do arsenal atômico do país.

  

A aguardada Revisão de Postura Nuclear é requisitada pelo Congressos dos EUA em cada administração presidencial. Obama, entretanto, criou altas expectativas depois de prometer acabar com a "mentalidade da Guerra Fria" e ganhar o Prêmio Nobel da Paz em parte por sua visão de um mundo livre de armas nucleares.

 

Obama falou mês passado que o plano, que veio depois de meses de deliberações, iria "reduzir o número e o papel das armas nucleares na nossa estratégia de segurança nacional, mesmo que mantenhamos uma estratégia de impedimento (deterrent) nuclear segura e eficaz."

 

A revisão também preparará o terreno para Obama assinar um significativo acordo sobre controle de armas com o presidente russo Dmitri Medvedev em Praga na próxima quinta-feira e recepcionar uma cúpula global sobre segurança nuclear na semana que vem em Washington.

 

Obama enfrenta o desafio de emprestar credibilidade a sua agenda de controle de armamentos enquanto tenta não alarmar seus alidos ou limitar seu espaço de manobra nas negociações com ameaças nucleares emergentes como o Irã e Coréia do Norte.

"O presidente irá revelar sua revisão da postura nuclear, projeto que ele e outros vêm trabalhando a algum tempo" disse o porta-voz da Casa Branca Robert Gibbs.

 

"A segurança nuclear é um dos assuntos no qual o presidente está mais focado em sua política externa", disse Gibbs.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOBAMANUCLEARNYT*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.