Nova York deteve 140 pessoas por dia em 2010 por posse de maconha

Substância é o principal motivo de detenções na cidade, com 15% do total, de acordo com dados da Aliança de Política de Drogas

12 de fevereiro de 2011 | 01h45

NOVA YORK - Em média 140 pessoas foram detidas por dia em Nova York durante 2010 por posse de pequenas quantidades de maconha, o que transforma a substância no principal motivo de detenções na cidade, com 15% do total.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira pela Aliança de Política de Drogas, que se baseou em informações da divisão do estado de Nova York dos Serviços de Justiça Criminal correspondentes a 2010. De acordo com o levantamento, foram registradas 50.383 detenções por posse de maconha em Nova York no ano passado, 8% mais que em 2009.

De acordo com a organização, que defende a legalização da maconha, o aumento das detenções tem origem na política empreendida pelo prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, desde que assumiu o cargo em 2002.

Desde então, foram detidas na cidade 350 mil pessoas, das quais 70% eram menores de 30 anos e 86%, pessoas negras ou de origem latina, apesar de, segundo a organização, os jovens brancos serem os maiores consumidores da droga.

Mesmo que a posse de menos de 25 gramas de maconha em Nova York não seja considerada delito, mas uma falta (que pode gera uma multa de US$ 100, mas não detenção nem pena de prisão), ter a droga à vista das pessoas é considerado um delito menor.

A organização denuncia que muitas das detenções são de pessoas flagradas com maconha nos bolsos e que acabam detidos sob a acusação de terem mostrado a substância em público.

Tudo o que sabemos sobre:
DrogasEstados UnidosNova York

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.