Nova York prevê benefício econômico com casamentos gay

As empresas de Nova York esperam que a cidade se torne um destino escolhido para casamentos homossexuais, o que pode resultar em benefícios para hotéis, bufês e toda a cadeia produtiva do setor turístico.

REUTERS

25 de julho de 2011 | 20h07

A NYC & Co, agência oficial de turismo da "Big Apple", já lançou uma campanha global de marketing para atrair homossexuais, agora que eles podem se casar legalmente na cidade.

Hotéis e restaurantes também estão de olho nessa clientela. O Crowne Plaza da Times Square, por exemplo, oferece transporte em limusine e dois ingressos para um show na Broadway.

No domingo, primeiro dia dos casamentos homossexuais legalizados na cidade, as filas formadas por gays e lésbicas davam a volta no quarteirão em torno de um cartório em Manhattan.

"Terá um enorme impacto, economicamente falando, sobre a indústria dos casamentos como um todo", disse Gina Monick, gerente do sofisticado bufê Abigail Kirsch.

Um recente relatório do Senado de Nova York estimou que os casamentos homossexuais representarão a injeção de 391 milhões de dólares na economia do Estado nos primeiros três anos -- um dinheiro altamente bem-vindo, num momento em que os EUA lutam para se recuperar de uma grave recessão.

(Por Kristina Cooke)

Tudo o que sabemos sobre:
EUANOVAYORKCASAMENTOGAY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.