Nova York reforça vigilância contra ameaça radioativa

Polícia adota medidas de precaução com base em ameaças da Al-Qaeda divulgadas em site israelense

Efe,

11 de agosto de 2007 | 12h16

As autoridades de Nova York reforçaram neste sábado, 11, as medidas de vigilância na cidade como medida de precaução, diante do que consideraram ameaças "não substanciais" recebidas pela internet sobre a possível presença em suas ruas de material radioativo. As forças de segurança nova-iorquinas adotaram medidas de precaução e estão revistando automóveis e outros veículos nas entradas da cidade, nas pontes e nos túneis, além de ter colocado sensores radiológicos nas ruas, assim como em zonas aqüíferas e no ar. O subdelegado da polícia, Paul Browne, disse à imprensa local que essas ameaças tinham aparecido em um site israelense, e que afirmavam que membros americanos da rede terrorista Al-Qaeda tinham feito ameaças contra diplomatas e embaixadas em diversos lugares do mundo. Comunicado O prefeito de Nova York emitiu neste sábado um comunicado à imprensa tranqüilizando a população, e indica que a resposta da polícia frente a essa situação não é extraordinária, além de que o nível de alerta da "Big Apple" não mudou. "A Polícia de Nova York adota medidas desse tipo todos os dias, são só precauções diante de ameaças potenciais, mas não confirmadas e que podem nunca se concretizar", acrescentou Bloomberg. The New York Times O jornal The New York Times publica na edição deste sábado que as autoridades estabeleceram pontos de controle na madrugada do sábado em algumas zonas do sul de Manhattan. Segundo o periódico, a polícia de Nova York teve conhecimento dessa possível ameaça por meio do site Debka, que - segundo Browne - poderia ter conexões com fontes militares e de inteligência israelenses. Nesse site, há a informação de que a Al-Qaeda planeja detonar um caminhão com material radioativo em cidades dos Estados Unidos como Nova York, Los Angeles e Miami. Fontes consultadas pelo jornal nova-iorquino disseram que o site contém "informações que freqüentemente são errôneas, mas que ocasionalmente podem ser verdade".

Tudo o que sabemos sobre:
Nova YorkterrorismoAl-Qaeda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.