Nova York soma mais uma vítima ao número oficial de mortes no 11/9

Homem trabalhava próximo ao local do acidente e teria adquirido uma doença pulmonar inflamatória ao inalar pó produzido pela queda de edifícios

Efe,

18 de junho de 2011 | 02h50

NOVA YORK - As autoridades de Nova York incluíram sexta-feira, 17, um homem que morreu devido a uma doença pulmonar no ano passado à lista oficial de falecidos pelos ataques de 11 de setembro de 2001 contra as Torres Gêmeas, com o qual o número oficial de vítimas mortais sobe para 2.753 pessoas.

 

O escritório Médico Legista da cidade de Nova York informou sua decisão de classificar como homicídio a morte em dezembro do ano passado de Jerry Borg, que contraiu a doença pulmonar responsável pela sua morte devido ao pó inalado no atentado aos edifícios mais altos de Nova York.

 

Borg trabalhava próximo do World Trade Center e durante sua fuga teria inalado os restos de amianto, chumbo e gases tóxicos que causaram sarcoidose, uma doença inflamatória nos pulmões.

O trabalhador foi a terceira pessoa falecida em consequência de doenças relacionadas ao pó provocado pela queda das torres. As autoridades legistas nova-iorquinas o somam à lista oficial de mortos, mas ainda há inúmeros pedidos de casos similares.

 

As outras duas pessoas foram Felicia Dunn-Jones, uma advogada que trabalhava também próximo das Torres Gêmeas e morreu da mesma doença, e Leon Heyward, funcionário da cidade de Nova York que ajudou nas tarefas de evacuação posteriores ao impacto dos aviões e morreu como consequência de um linfoma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.