NY entra em alerta para possível vingança por morte de militante

Polícia diz que Anwar al-Awlaki era um 'recrutador poderoso' e tinha seguidores na cidade

Reuters

30 Setembro 2011 | 17h21

NOVA YORK - A polícia da cidade de Nova York está em alerta para possíveis ataques em vingança pela morte no Iêmen do militante de origem americana Anwar al-Awlaki, disse o comissário de polícia Ray Kelly nesta sexta-feira, 30.

 

Veja também:

linkClérigo da Al-Qaeda é morto no Iêmen

especialMAPA: As franquias da Al-Qaeda

Identificado pela inteligência dos EUA como "chefe de operações externas" do braço da Al-Qaeda no Iêmen e um propagandista da causa islâmica na internet, Al-Awlaki foi morto em um ataque promovido por um avião não-tripulado da Agência Central de Inteligência (CIA) numa cidade remota do Iêmen, disseram autoridades americanas.

"Sabemos que al-Awlaki tinha seguidores nos EUA, incluindo em Nova York, e por essa razão permanecemos em alerta para a possibilidade de alguém querer se vingar pela morte dele", disse Kelly em comunicado. "Ele era um poderoso recrutador de terroristas nos Estados Unidos", disse ele.

 

O presidente americano, Barack Obama, afirmou que a morte de Al-Awlaki "é um importante golpe contra um dos mais ativos associados da Al-Qaeda". Ele também afirmou que o fato "representa outro marco nos amplos esforços para derrotar" a organização terrorista.

 

Awlaki esteve envolvido em uma tentativa fracassada da Al-Qaeda na Península Arábica de atacar um avião com destino aos EUA, em 2009. Autoridades dos EUA o consideravam um "terrorista global", mas o Iêmen já havia se mostrado relutante em agir contra ele.  Eloquente em inglês e árabe, ele encorajou ataques nos Estados Unidos e era visto como um homem que poderia atrair mais recrutas de países ocidentais para a Al-Qaeda. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.