NY pagará US$ 2 milhões a presos em protestos anti-guerra

Prefeitura faz acordo com 94 pessoas que foram detidas durante manifestação contra guerra do Iraque em 2003

Reuters,

19 de agosto de 2008 | 18h41

A prefeitura de Nova York concordou em pagar US$ 2 milhões em indenização a manifestantes que foram presos durante um protesto contra a guerra do Iraque. A ação incluiu as 94 pessoas que foram detidas em 7 de abril de 2003, durante um ato em frente aos escritórios do Carlyle Group em Manhattan, uma empresa de investimentos com negócios no setor de defesa. Os manifestantes alegaram que seus direitos civis foram violados, informaram seus advogados nesta terça-feira, 19. "A polícia de Nova York violou os direitos constitucionais quando prendeu um grupo de manifestantes pacíficos que protestavam dentro da lei contra a guerra do Iraque e aqueles que tiraram lucro disso", declarou Sarah Netburn, advogada de um dos americanos que foi detido. Em comunicado, uma advogada da prefeitura confirmou a sentença. Duas manifestantes, Eva Hageman e Sarah Kunstler, foram acusadas de conduta não adequada, mas acabaram inocentadas pelo júri. Outras acusações contra participantes do protesto foram anuladas sem julgamento. A indenização, que inclui o honorário dos advogados, será igualmente dividida entre os manifestantes, informaram os advogados dos pleiteadores.

Tudo o que sabemos sobre:
Nova Yorkprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.