Obama afirma que Irã continua ameaçando e estende sanções

Presidente americano diz continuar aberto a diálogo, mas Teerã deve 'afrouxar os punhos' para negociações

Agências internacionais,

12 de março de 2009 | 19h50

O presidente americano, Barack Obama, anunciou nesta quinta-feira, 12, que estava estendendo as sanções contra o Irã por um ano, devido à "não usual e extraordinária ameaça" à segurança nacional que o país continua representando. Em nota, o chefe de Estado disse que está disposto a realizar um diálogo direto com Teerã, mas que o país deve "afrouxar os punhos", em referência a seu programa nuclear.

 

Veja também:

linkEspecial: a ameaça nuclear iraniana especial

 

O Irã, quarto maior produtor mundial de petróleo, diz que o objetivo de suas atividades atômicas é apenas gerar eletricidade com fins civis, mas não consegue convencer o Ocidente sobre a natureza pacífica do programa, que já foi alvo de três pacotes de sanções da ONU. A resolução do impasse nuclear é um dos principais desafios da administração Obama.

 

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) informou na quarta-feira passada que o Irã afastou-se das suas obrigações sob o sistema de não-proliferação quando deixou de fornecer dados prévios sobre seus planos nucleares e de dar acesso de inspetores a um futuro reator de água pesada.

 

Recentemente, um importante comandante militar da República Islâmica disse que o Irã já tem mísseis capazes de atingir instalações nucleares israelenses. Israel não descarta uma ação militar caso a diplomacia ocidental não baste para convencer Teerã a suspender seu programa nuclear.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIrã. programa nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.