Obama anuncia medidas contra violência armada e pede ação rápida do Congresso

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou nesta quarta-feira medidas para reduzir a violência armada no país e pediu uma ação rápida do Congresso para o controle de armas, além de prometer que usará "todo o peso que seu gabinete tiver" para torná-las uma realidade.

Reuters

16 de janeiro de 2013 | 17h01

Entre as medidas anunciadas está a exigência de checar os antecedentes criminais de todos os compradores de armas e uma proibição da venda de armas de assalto militares.

"Não podemos mais adiar isso", disse Obama ao fazer um apelo para o Congresso aprovar as medidas.

O presidente disse que a cada dia que os Estados Unidos esperarem para agir, mais pessoas serão mortas pela violência armada. "Isso não vai acontecer, a não ser que o povo americano exija."

O presidente também propôs o fim de cartuchos de munição de alta capacidade, em vez de restringir a capacidade desses equipamentos, de acordo com detalhes do plano divulgados pela Casa Branca. Ele também deve endurecer as leis que buscam reduzir o tráfico de armas.

(Reportagem de Jeff Mason e Steve Holland)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAARMASOBAMAMEDIDAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.