Obama anuncia retirada de 33 mil militares do Afeganistão

estadão.com.br,

22 de junho de 2011 | 21h09

Obama durante o discurso: "EUA não vão tolerar salvo conduto para quem quer nos matar"

 

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou na noite desta quarta-feira, 22, que irá retirar do Afeganistão 10 mil soldados até o fim do ano e um total de 33 mil até meados de 2012. Com o anúncio, Obama apressa o fim do longo conflito cujo custo tem sido superior ao previsto e que foi lançado em resposta aos ataques de 11 de Setembro de 2001.

 

Veja também:

video Adriana Carranca: 'Missão está sendo deixada pela metade'

especialTrês décadas de caos e violência no Afeganistão

linkPesquisa: aumenta pressão por saída imediata

 

"Este é o início, mas não o fim de nossos esforços para terminar essa guerra", disse Obama, em um pronunciamento à nação feito a partir da Casa Branca. O presidente disse que o país terá a "pesada tarefa de não perder os ganhos obtidos" enquanto retira as forças do país asiático e passa a segurança para o governo afegão.

 

O número anunciado por Obama equivale ao total de soldados enviados para o Afeganistão no fim de 2009. Obama sofre crescente pressão política para diminuir os esforços de guerra, principalmente depois do assassinato de Osama bin Laden, no começo de maio.

 

Em discurso destacando uma mudança na política militar dos Estados Unidos, Obama disse ainda que, após a redução inicial, mais tropas serão retiradas do país asiático em um ritmo constante, na medida em que os afegãos assumam sua própria segurança. "América, é hora de focar a construção da nação aqui casa", afirmou.

 

Embora robusta, a retirada de 33 mil militares até o "fim do verão" (setembro) de 2012 deixará lá outros 68 mil no mesmo período em que Obama pretende ser reeleito, como observou a correspondente do estadão.com.br em Washington, Denise Chrispim Marin.

 

Em dezembro de 2009 Obama ordenou que 33 mil soldados fossem deslocados do Iraque para o Afeganistão, como forma dar fôlego aos esforços militares dos EUA. Além de cerca de 100 mil soldados americanos, há ainda 47 mil homens da Otan (Aliança do Tratado do Atlântico Norte) no Afeganistão.

 

Desde o início da guerra, em 2001, 1.522 soldados dos EUA morreram no país – uma pesquisa divulgada ontem indica que 56% dos americanos querem a retirada imediata de todos os soldados, e 39% defendem a manutenção dos militares até a "estabilização" do Afeganistão. Até 2014, como destacou o repórter especial Lourival Sant’Anna, todos os soldados estrangeiros deverão ser retirados do Afeganistão.

 

Com Agência Estado, AP e Reuters

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOBAMAAFEGANISTAO*Taleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.