Obama apresenta reforma da saúde na Fox News após criticar rede

Entrevista tensa foi marcada por interrupções do entrevistador e queixas do líder americano

Associated Press

18 de março de 2010 | 05h19

 

WASHINGTON - O presidente Barack Obama apareceu nesta quarta-feira, 17, no canal Fox News, que a Casa Branca tem criticado e considerado um braço do Partido Republicano, para promover seu projeto de reforma do sistema de saúde, em uma entrevista marcada por interrupções do entrevistador e queixas do entrevistado.

 

Obama se sentou com o apresentador do programa "Special Report", Bret Baier, na Sala Azul da Casa Branca, para conversar sobre o projeto de lei que se aproxima de sua votação definitiva. Em várias ocasiões, Obama repreendeu Baier por interromper suas longas respostas com outras perguntas.

 

"Bret, deixe-me terminar minhas respostas", disse Obama a Baier, que foi o correspondente do canal televisivo na Casa Branca durante o governo de George W. Bush.

 

"Senhor", respondeu Baier, "sei que você não gosta das interrupções, mas..."

 

"Bom", disse Obama em sua nova interrupção a Baier, "tento responder sua pergunta e você volta a me interromper".

 

O tom da entrevista foi dado já no princípio. Baier perguntou primeiro sobre os esforços mais recentes para a aprovação da reforma do sistema de saúde, mas Obama respondeu sem acrescentar novidades sobre os benefícios da iniciativa. Baier disse que o presidente se esquivara da pergunta.

 

"Bret, deixe-me terminar", respondeu Obama.

 

Obama, contrariado, terminou sua resposta, na qual repetiu suas conhecidas razões pelas quais os legisladores deveriam aprovar o projeto, o que significaria uma vitória para a Casa Branca em relação às difíceis perspectivas que afrontam os democratas neste ano eleitoral.

 

"Me permita mostrar isto", disse Baier em uma tentativa de recuperar o controle da conversa, ao citar algumas das 18 mil perguntas enviadas pelos telespectadores da Fox News antes da entrevista. Duas perguntas lidas por Baier condenaram o que diziam ser subornos e mentiras para aprovar uma iniciativa supostamente benéfica ao país.

 

"Bret, recebo a cada dia 40 mil cartas ou e-mails", disse Obama.

 

A Casa Branca tem feito críticas abertas contra o noticiário da Fox News. Em outubro, a então diretora de comunicação social da Casa Branca, Anita Dun, descreveu a Fox News como "o braço investigativo ou o braço de difusão do Partido Republicano" e acrescentou: "não finjam que são uma organização jornalística como a CNN".

Tudo o que sabemos sobre:
ObamaEUAFox News

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.