Obama chama explosões em Boston 'ato de terror', suspeito desconhecido

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, chamou os ataques de Boston de "ato de terror" nesta terça-feira, mas disse que não está claro ainda se ambas as explosões foram o trabalho de um grupo estrangeiro, nacional ou de um "indivíduo mal-intencionado".

Reuters

16 de abril de 2013 | 13h13

Em um pronunciamento na Casa Branca, Obama pediu aos norte-americanos que se mantenham vigilantes e estejam atentos para atividades suspeitas, um dia depois de duas explosões atingirem a linha de chegada da Maratona de Boston, matando pelo menos três pessoas e ferindo várias outras.

Grande parte do centro de Boston continuava isolado pela polícia nesta terça-feira, enquanto autoridades investigam a origem de duas bombas.

Entre os mortos há um menino de oito anos, disse o jornal Boston Globe, citando duas fontes policiais. Uma criança de 2 anos sofreu um ferimento na cabeça e está sendo atendido no Hospital Infantil de Boston.

O ataque fez com que a polícia entrasse em alerta em outras cidades dos EUA, incluindo Washington e Nova York, que foram atingidas pelos atentados de 11 de setembro de 2001.

(Por Steve Holland e Roberta Rampton)

Tudo o que sabemos sobre:
EUABOSTONOBAMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.