Obama critica Hillary por fazer apelo contra 'clube do Bolinha'

Barack Obama, pré-candidato doPartido Democrata à Presidência dos Estados Unidos e o úniconegro dentre os concorrentes ao cargo, acusou sua rival delegenda Hillary Clinton, na sexta-feira, de esconder-se atrásde sua condição de mulher depois de ela ter sido criticada emum debate com seis candidatos do sexo masculino. "Pressuponho e espero que a senadora Clinton deseje sertratada como todos os demais", afirmou o senador pelo Estado deIllinois em uma entrevista concedida ao programa "Today Show",da NBC. "Quando tivemos o debate em Iowa, recentemente, passamos osprimeiros 15 minutos, acho, discutindo críticas dirigidas a mimdevido a várias questões de política externa. E eu não recorriaos microfones para falar: 'Vejam, estou sendo criticado porquetenho uma aparência diferente do restante das pessoas presentesno palco"', afirmou. "Pressupus que as críticas deviam-se ao fato de haverdivergências políticas reais. E acho que essa deve ser aatitude que devemos adotar. Não estamos disputando o comando deuma câmara de vereadores. Estamos disputando a Presidência dosEUA." Obama deu essas declarações um dia depois de a senadorapelo Estado de Nova York -- a única mulher a concorrer ao cargode presidente -- ter conclamado as eleitoras do país a lhedarem apoio contra o "clube do Bolinha da políticapresidencial". Em um debate realizado na terça-feira à noite, Obama e oex-senador democrata John Edwards, que aparecem bastante atrásde Hillary nas pesquisas de intenção de voto, colocaram emdúvida a honestidade da ex-primeira-dama, sua capacidade deliderança e suas chances de vencer a eleição de novembro de2008. Obama observou, na sexta-feira, que Hillary é consideradano cenário político uma figura durona. "Então, não faz sentido que ela, tendo feito campanha dessaforma ao longo de oito meses, venha a público depois de aspessoas terem começado a duvidar das opiniões dela e,retrocedendo, afirme: 'Não me persigam"', disse. "Não é assim que gostaríamos de vê-la agir caso ocupasse aPresidência." (Por David Morgan)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.