Obama dá garantias a países sobre investimentos nos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, minimizou neste sábado sugestões sobre um racha no G20 e assegurou à China que seus investimentos nos Estados Unidos estão seguros após encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que também abordou as relações com a América Latina.

REUTERS

14 de março de 2009 | 15h24

Obama e Lula discutiram na Casa Branca os preparativos para a próxima reunião dos presidentes do G20 que ocorrerá em 2 de abril na Inglaterra.

"Não posso ser mais claro em dizer que não há lados", disse Obama a repórteres ao comentar uma aparente tensão entre países europeus e os EUA sobre a ênfase que deve ser dada a gastos públicos ou regulação para enfrentar a crise financeira global.

Classificando a questão de um "debate artificial", Obama disse que não há um maior defensor da necessidade de uma reforma da regulação financeira do que ele próprio.

Obama também tentou assegurar à China, que expressou preocupação na sexta-feira que os enormes gastos fiscais dos EUA e taxas de juro próximas a zero possam erodir o valor do grande volume de títulos norte-americanos detidos pelo país asiático.

"Há uma razão pela qual, mesmo no meio dessa enorme crise econômica, você tenha visto uma elevação no fluxo de investimentos aqui nos Estados Unidos", afirmou. "Acho que é um reconhecimento que a estabilidade não apenas do nosso sistema econômico mas também de nosso sistema político é extraordinária."

"Não apenas o governo chinês, mas todos os investidores podem ter absoluta confiança na solidez dos investimentos nos Estados Unidos."

(Reportagem de Jeff Mason e Bill Trott)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOBAMALULA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.