Obama declara gripe suína emergência nacional nos EUA

Doença atinge 46 dos 50 Estados americanos, já infectou milhões de pessoas e causou mais de 1.000 mortes

Agência Estado,

24 de outubro de 2009 | 13h51

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou a Influenza A (H1N1), mais conhecida como gripe suína, uma "emergência nacional", informou a Casa Branca neste sábado, 24, enquanto o país enumera milhões de casos de infecção e mais de 1.000 mortes. A declaração de emergência, assinada pelo presidente na noite de sexta-feira (23), vai permitir que os oficiais de saúde eliminem certas exigências federais.

 

As autoridades de saúde descreveram o movimento como similar a uma declaração antes da chegada de um furacão. A gripe suína atinge 46 dos 50 Estados americanos.

 

Sessenta milhões de americanos já se vacinaram este ano contra o vírus sazonal da gripe e outras doenças respiratórias diante do surgimento da gripe suína, segundo informaram as autoridades americanas na sexta-feira (23). Esse aumento também se deve a uma maior disponibilidade de vacinas.

 

Os Estados Unidos contam atualmente com 85 milhões de doses contra a gripe sazonal, uma quantidade muito maior que o normal para esta época do outono (no hemisfério norte). Na maioria dos anos, o país usou apenas 100 milhões de vacinas durante o outono e o inverno. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ObamaEUAgripe suína

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.