Obama defende a venda do caça F-18 em reunião com Dilma

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez campanha para o caça Boeing F-18 em reunião com a presidente Dilma Rousseff, mas ela não indicou se o seu governo havia decidido comprar o avião norte-americano, afirmou a Casa Branca neste domingo.

REUTERS

20 de março de 2011 | 13h09

"O tema F-18 foi tratado. A presidente Dilma Rousseff o citou", disse à imprensa no Rio de Janeiro o assessor da Casa Branca Dan Restrepo. Ele falava da reunião bilateral entre os dois presidentes no sábado em Brasília.

O Brasil busca modernizar a sua força aérea, e a promoção das exportações norte-americanas, para criar empregos nos EUA, é parte central da viagem de Obama à América Latina.

"O presidente Obama enfatizou que o F-18 é o melhor avião em oferta. O pacote de transferência de tecnologia é equivalente aos pacotes oferecidos aos aliados ao redor do mundo", afirmou Restrepo, principal assessor de Obama para a América Latina.

O F-18 enfrenta a concorrência do francês Rafale, que tinha a preferência do antecessor de Dilma Rousseff, Luiz Inácio Lula da Silva.

O contrato para o fornecimento de caças ao Brasil vai ser provavelmente maior dos que os lances iniciais, que segundo a imprensa brasileira ficaram em torno de 4 bilhões a 6 bilhões de dólares. O Brasil poderia comprar mais de cem aviões.

(Reportagem de Alister Bull)

Tudo o que sabemos sobre:
EUABRASILCAAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.