Reuters
Reuters

Obama defende 'opção pública' para a saúde

Em discurso do Dia do Trabalho, presidente diz que seguradoras podem ter lucro, mas devem ser justas

Reuters,

07 de setembro de 2009 | 15h21

O presidente norte-americano Barack Obama afirmou hoje que "este é o momento" para aprovar a reforma da saúde. "É o momento de fazer o que é correto para as famílias trabalhadoras, deixar de lado o partidarismo, parar de dizer coisas que não são verdade, unir-se como nação, aprovar agora a reforma da saúde", disse.

 

Veja também:

linkAssessores de Obama deixam espaço para fazer concessões na saúde

linkObama falará ao Congresso sofre reforma na saúde dia 9

linkCasa Branca tenta esvaziar polêmica sobre discurso a alunos

 

Obama defendeu que a reforma do sistema de saúde norte-americano inclua a alternativa pública por um programa de seguro federal. "Continua acreditando que um opção pública, dentro da cesta de escolhas de seguro, melhoraria a qualidade e baixaria os preços". Afirmou também que quer "um sistema de seguro de saúde que funcione tanto para os americanos quanto para a indústria das seguradoras". Quanto às seguradoras, discursou que "elas devem ser livres para ter lucros, mas também devem ser justas". Após o discurso, Obama pediu às cerca de 5 mil pessoas presentes apoio à reforma.

 

O discurso foi feito em Cincinnati, Ohio, um das regiões mais afetadas pela crise econômica. O evento foi organizado pela coalizão sindical AFL-CIO, no feriado do Dia do Trabalho, que nos Estados Unidos é lembrado na primeira segunda-feira de setembro e marca o fim das férias escolares.

 

Na quarta-feira, o presidente volta ao tema da reforma da saúde em discurso no Congresso, para as duas casas legislativas. A reforma da saúde é uma das prioridades de Obama, mas sofre dura resistência do Partido Republicano.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Obamasaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.