AP
AP

Obama destaca necessidade de evitar novo domínio da Al Qaeda

Presidente se comprometeu com marinheiros: 'Não arriscarei suas vidas a não ser que seja muito necessário'

Efe,

26 de outubro de 2009 | 22h11

O presidente americano, Barack Obama, ressaltou nesta segunda-feira, 26, na base aeronaval de Jacksonville (Flórida) a necessidade de preservar a segurança no Afeganistão para evitar que o país seja novamente um "porto seguro " para a rede terrorista Al Qaeda e seus aliados extremistas.

 

Se comprometeu a considerar os próximos passos que se deem no Afeganistão e assegurou que nunca se apressará em tomar uma decisão que ponha em perigo as vida dos militares. "Não arriscarei suas vidas a não ser que seja absolutamente necessário", disse.

  

Assegurou que, caso que seja necessário, as tropas voltariam a casa porque "merecem uma estratégia e uma missão clara, objetivos definidos" e o material e apoio que se necessita para completar o trabalho. "Esta é a promessa que lhes faço", insistiu.

 

Aproveitou também sua visita à base aeronaval, à qual qualificou como uma das melhores e mais avançadas de EUA, para elogiar a entrega e coragem de "todos aqueles que dão sua vida no serviço" ao país.

 

Nesse contexto, apontou que de nenhuma maneira os americanos deve renunciar à defesa dos "valores mais queridos" e a "liberdade que eles" decidiram resguardar.

 

Disse sentir-se inspirado como comandante-em-chefe pelo exemplo de todos os que servem na Armada e destacou as diferentes missões, algumas delas humanitárias, que realizam no mundo todo.

 

"Devem sentir-se orgulhosos", acrescentou Obama e especificou que "não há serviço sem sacrifício".

 

Explicou que o Governo aumentou o orçamento de defesa que supõe o corte de bilhões de dólares em projetos que os comandantes militares asseguram que resultam desnecessários.

 

"Melhor empregar o dinheiro em nosso cuidado e no de nossas famílias", disse Obama.

Tudo o que sabemos sobre:
ObamaAfeganistãoguerraexército

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.