Obama diz estar 'entristecido' por mortes de afegãos

Presidente dos Estados Unidos comentou assassinato de 16 civis por soldado americano neste domingo; incidente pode piorar tensão entre países

Reuters

11 de março de 2012 | 15h24

Atualizado às 17h40

O presidente Barack Obama disse neste domingo, 11, que estava "profundamente entristecido" pelos assassinatos de 16 civis afegãos cometidos por um soldado dos EUA e que o incidente, que provavelmente inflamará as tensas relações EUA-Afeganistão, não reflete o respeito dos EUA pelo povo afegão. "Este incidente é trágico e chocante e não representa a qualidade excepcional de nossa força militar e o respeito que os Estados Unidos têm para com o povo do Afeganistão", disse Obama em um comunicado.

Já o secretário de Defesa, Leon Panetta, ofereceu suas condolências ao presidente afegão, Hamid Karzai. "Eu condeno esse tipo de violência e estou chocado e entristecido com o fato de um funcionário a serviços dos EUA ser acusado de estar envolvido, claramente agindo fora de sua cadeia de comando", Panetta disse em um comunicado.

"Uma investigação completa já está em andamento. Um suspeito está sob custódia e eu dei ao presidente Karzai minhas garantias de que vamos trazer os responsáveis à justiça", disse Panetta.

Obama telefonou para o presidente afegão nesta tarde para expessar seu pesar pelo incidente e oferecer condolências. Em nota oficial emitida pela Cassa Branca, o presidente norte-americano qualificou o ataque como "trágico e chocante" e afirmou que não condiz com a força militar norte-americana e o respeito que os Estados Unidos têm pela população afegã. A nota diz ainda que o governo vai apurar os fatos o "mais rápido possível" e punir os responsáveis. / Com informações da AP

 

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOBAMAAFEGAO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.