Obama diz que aliados têm de estar prontos para mais sanções à Rússia

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e a chanceler alemã, Angela Merkel, conversaram nesta quinta-feira sobre possíveis novas sanções à Rússia por suas ações na Ucrânia, pedindo novamente a Moscou que retire suas tropas da região de fronteira, informou a Casa Branca.

Reuters

10 de abril de 2014 | 21h50

O governo norte-americano disse que os separatistas pró-Rússia, "aparentemente com o apoio de Moscou", estavam desestabilizando a Ucrânia com "uma campanha orquestrada de incitamento e sabotagem".

"O presidente destacou a necessidade de os Estados Unidos, a União Europeia e outros parceiros globais estarem preparados para responder a uma nova escalada da Rússia com sanções adicionais", disse a Casa Branca em um comunicado sobre o telefonema.

(Reportagem de Roberta Rampton)

Tudo o que sabemos sobre:
EUARUSSIASANCOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.