Obama diz que cerco de militantes islâmicos a iraquianos em montanha foi rompido

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta quinta-feira que o cerco de militantes islâmicos a iraquianos no Monte Sinjar foi rompido, e que ele não espera ser necessário montar uma operação de retirada ou continuar com o envio aéreo de ajuda humanitária.

REUTERS

14 de agosto de 2014 | 14h32

"Ajudamos pessoas vulneráveis a atingir a segurança e ajudamos a salvar muitas vidas inocentes", disse Obama a jornalistas.

"Graças a esses esforços não esperamos que haja uma operação adicional para retirar as pessoas da montanha, e é improvável que a gente precise continuar com as entregas aéreas humanitárias na montanha", acrescentou.

Obama disse que os EUA vão continuar com os ataques aéreos para proteger instalações norte-americanas no Iraque, e pediu aos iraquianos que se unam para derrotar os militantes islâmicos.

(Reportagem de Mark Felsenthal)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOBAMAIRAQUECERCO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.