Obama diz que considera nomear 'czar' do Ebola para liderar ações dos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta quinta-feira que está analisando a possibilidade de nomear um "czar" para o Ebola como coordenador principal do país na tarefa de conter o vírus e que ele continua contrário a uma proibição de viagens de e para a África Ocidental.

REUTERS

16 de outubro de 2014 | 21h54

Obama se reuniu com assessores envolvidos na batalha contra o Ebola e falou com repórteres depois do encontro. Ele disse que "pode ser apropriado" em algum momento colocar uma única pessoa no comando da ação. Alguns parlamentares têm pedido que o presidente dê esse passo.

Ao se referir a assessores que estão cuidando de vários aspectos da luta contra o Ebola, como a secretária de Saúde e Serviços Humanos, Sylvia Burwell, a conselheira de Segurança Nacional, Susan Rice, e o diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, Tom Frieden, Obama disse que eles têm muitas outras funções, além do Ebola.

"Não é que eles não têm feito um excelente trabalho nesta questão, mas também são responsáveis ??por várias outras coisas", disse ele.

Sobre a pressão de parlamentares para criar uma proibição das viagens de e para a África Ocidental, Obama disse que os especialistas lhe disseram que "uma simples proibição de viagens não é o melhor caminho a se percorrer", já que as atuais medidas para checagem de passageiros estão funcionando.

Ele afirmou que não tem objeções filosóficas à proibição de viagens, mas disse que alguns passageiros podem tentar entrar no país escondidos evitando, assim, as medidas de checagem, o que levaria a mais casos de Ebola, e não a menos.

(Reportagem de Steve Holland e Jeff Mason)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOBAMAEBOLACZAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.