Obama diz que eliminar Estado Islâmico não será fácil

O presidente dos Estados Unidos prometeu perseguir os membros do Estado Islâmico que mataram o jornalista norte-americano

REUTERS

26 de agosto de 2014 | 14h27

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, prometeu nesta terça-feira perseguir os membros do Estado Islâmico que mataram o jornalista norte-americano James Foley, e disse que eliminar o grupo militante no Iraque e na Síria não será fácil.

"Os Estados Unidos não se esquecem, nosso alcance é longo, somos pacientes, a justiça será feita", disse Obama a veteranos reunidos em uma convenção da Legião Americana, em Charlotte, na Carolina do Norte.

Obama, que ordenou a realização de ataques aéreos contra o grupo militante no Iraque e pode expandir as ações para a Síria, disse que fará o que for necessário para encontrar aqueles que atacam norte-americanos.

"Remover um câncer como o ISIL não será fácil e não será rápido", disse Obama, referindo-se à sigla em inglês que os Estados Unidos usam para o Estado Islâmico.

(Reportagem de Mark Felsenthal e Steve Holland)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOBAMAEICANCER*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.