Obama diz que Estado Islâmico é um 'câncer' e EUA farão o que for preciso para proteger seu povo

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta quarta-feira que o grupo militante Estado Islâmico, que decapitou um jornalista norte-americano, é um "câncer", e disse que a "ideologia deles está falida".

REUTERS

20 de agosto de 2014 | 14h43

"O mundo inteiro está horrorizado pelo assassinato brutal de James Foley", disse Obama, falando um dia após a divulgação de um vídeo dos militantes mostrando a execução de Foley.

Obama disse que telefonou para a família do jornalista para expressas suas condolências.

O Estado Islâmico, que tem avançado pelo norte do Iraque, divulgou o vídeo como um alerta aos EUA, mas Obama disse que o país vai continuar a fazer o que precisa para proteger seu povo.

(Por Bill Trott, em Washington)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOBAMAESTADOISLAMICOCANCER*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.