Obama diz que faltam dados suficientes para acelerar droga contra Ebola

O presidente norte-americano, Barack Obama, disse nesta quarta-feira que não tem informações suficientes para liberar uma droga promissora para tratar o vírus mortal Ebola e que a resposta inicial deve se concentrar em medidas de saúde pública para conter o surto.

REUTERS

06 de agosto de 2014 | 20h11

"Temos que deixar que a ciência nos guie e eu não acho que exista toda a informação sobre se esta droga é útil", disse o presidente em entrevista coletiva. "O vírus Ebola, atualmente e no passado, é controlável se você tem uma forte infraestrutura de saúde pública em vigor."

Autoridades de saúde pública devem fazer todo o possível para conter o surto, e, durante o andamento deste processo, as autoridades podem avaliar se novas drogas ou tratamentos podem ser eficazes, disse ele.

"Estamos focando a abordagem da saúde pública neste momento, mas vou continuar a procurar informações sobre como estamos no avanço dessas drogas", disse ele.

(Reportagem de Mark Felsenthal)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOBAMAEBOLA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.